POLÍTICA

Silvio Barros faz balanço do primeiro mês de governo

O prefeito de Maringá, Silvio Barros, manteve encontro de uma hora e meia com profissionais da imprensa, na tarde desta terça-feira, dia 1º de fevereiro, para relatar o que a administração municipal já realizou nesses primeiros trinta dias de governo.

O encontro, na Sala de Reuniões da Prefeitura, teve também a participação do vice-prefeito Carlos Roberto Pupin, secretários municipais e os vereadores Edith Dias e Aparecido Domingos Regini “Zebrão”.

Entre as principais ações até agora colocadas em prática o prefeito destacou o atendimento a 13 mil estudantes das escolas municipais que têm direito ao Passe Escolar, o trabalho emergencial realizado pelo Saop na recuperação da malha asfáltica mesmo durante o período chuvoso e o início da revitalização da área esportiva, além da criação de uma comissão de secretários para avaliar a dívida do município.

Segundo ele, a primeira tarefa da comissão formada pelos secretários da Fazenda, Administração, de Governo e Procuradoria Geral, será a realização de um levantamento das contas assumidas pela administração anterior que ainda restam a pagar pela Prefeitura e que atingem R$ 42 milhões.

PRÓXIMAS AÇÕES
Antecipando algumas ações prioritárias que deverão ser desenvolvidas nos próximos dias, o prefeito anunciou uma provável revisão do contrato relacionado às obras do Novo Centro. “A primeira vistoria que fizemos nas obras não foi boa”, disse Silvio Barros, questionando o custo aproximado de R$ 70 milhões – já assumido em licitação pela administração passada – para um projeto que, segundo ele, não contempla a execução da Via Leste-Oeste. “O valor será usado apenas para a construção da avenida sobre a laje do túnel, o rebaixamento da linha férrea e construção de sete viadutos, ou seja, a via paralela aos trilhos, ligando Paiçandu à Sarandi, não faz parte do projeto. E isso terá de ser revisto”, observou.

De acordo com o prefeito, essa questão será discutida na próxima reunião do Codem, marcada para o dia 22 deste mês, quando será tomada uma decisão em consenso com os empresários da cidade.

Para a mesma reunião estão previstos debates em relação à revitalização da Avenida Brasil – que recai sobre a retirada das “espinhas de peixe” - e uma nova formatação para a Praça Raposo Tavares, prevendo o tombamento da antiga rodoviária para a construção de um grande centro comercial e cultural no local, o que dará uma nova dimensão ao chamado Eixo Monumental.

DE OLHO NO FUTURO
Elogiando a composição de sua equipe de governo, Silvio Barros adiantou que o momento é de se discutir o futuro da cidade. “Temos de pensar lá na frente para definir agora o que é preciso ser feito na cidade. E vamos procurar fazer muito de tudo o que é necessário fazer, simultaneamente. E nunca fazer um pouco de cada vez”, assegurou.
No final da entrevista coletiva, o prefeito anunciou o início imediato de um controle mais rigoroso no setor de embarque e desembarque da nova rodoviária, a volta do atendimento do NIS III nas instalações da Policlínicas e apresentou propostas para solucionar o problema do lixão. Segundo Silvio Barros, a idéia de não transformar o lixão em aterro sanitário já recebeu um voto de confiança do Secretário Estadual de Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida, durante encontro mantido na semana passada em Curitiba.
PMM