Sinttromar cobra manutenção de empregos no transporte coletivo

A reunião ocorreu na sala de reuniões do Gabinete do Prefeito, no Paço Municipal

Sinttromar cobra manutenção de empregos no transporte coletivo
O clima entre os representantes da administração, do sindicato e da empresa foi amistoso. - Foto: Luiz Fernando Cardoso/Sinttromar

Dirigentes do Sinttromar participaram, nesta terça (20), de reunião com o prefeito Ulisses Maia (PSD) e com representantes da TCCC e da Cidade Verde, concessionárias do transporte coletivo urbano e metropolitano. A reunião ocorreu na sala de reuniões do Gabinete do Prefeito, no Paço Municipal.

Representado pelo presidente Ronaldo José da Silva e pelos dirigentes Alessandro Derenzo, Jean Carlo Silveira e José Carlos Eugênio "Bagre", o Sinttromar cobrou a manutenção dos empregos na TCCC. Ronaldo lembrou que, no início da pandemia, os trabalhadores abriram mão de direitos em troca da garantia de manutenção de direitos.

Ronaldo também lembrou que a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) segue pendente, motivo pelo qual a categoria deliberou pela greve, que segue suspensa por tempo indeterminado. "Não houve avanço nenhum" disse o presidente.

Segundo o diretor administrativo da TCCC, Roberto Jacomelli, até 150 demissões estão previstas, caso a empresa não receba algum tipo de socorro do poder público. Jacomelli disse que a situação financeira "é pior do que o povo está imaginando" e que a empresa estaria perto do colapso. Não foram apresentados – na reunião – dados a respeito.

Secretário de Mobilidade Urbana, Gilberto Purpur diz que há recursos disponíveis para um eventual repasse emergencial à empresa, mas que sem um respaldo do Tribunal de Contas do Estado (TCE) o repasse seria "temerário". Ulisses disse que esse a administração ainda não teve retorno do TCE sobre a consulta feita pelo município.

O clima entre os representantes da administração, do sindicato e da empresa foi amistoso. Na busca por uma solução para o passivo, ficou decidido que as partes pesquisarão exemplos de municípios que conseguiram resolver o problema do transporte público na pandemia.

O objetivo é encontrar modelos que deram certo e que possam ser adotados em Maringá. Por conta disso, Ulisses pediu para que a TCCC desse uma segurada das demissões, já que uma solução está sendo buscada. Uma nova reunião será realizada na semana que vem.

Apesar da suspensão da paralisação, os trabalhadores da TCCC seguem em estado de greve.

Assessoria de imprensa