GERAL

Duto pode ligar Maringá a Paranaguá

A Central Paranaense Logística (CPL), cooperativa que reúne produtores de etanol do Estado do Paraná e trading de etanol como a CPA Trading, pretende construir um poliduto ligando a cidade de Maringá ao Porto de Paranaguá. A notícia mereceu especial destaque o jornal O Estado de S. Paulo, informando que o duto terá 530 quilômetros de extensão e passará pelas cidades de Londrina e Araucária. Para que os novos estudos técnicos e econômicos sejam realizados para a construção do duto, um protocolo de intenções foi assinado, entre CPL e Associação dos Produtores de Bioenergia do Paraná ( Alcopar) e o governo do Estado do Paraná.

Segundo o presidente da Alcopar, Paulo Zanetti, o projeto está orçado em R$ 1 bilhão e deverá escoar 4 bilhões de litros de etanol produzidos no Estado do Paraná. “O início do poliduto será em Maringá, no noroeste do Estado, onde está concentrada cerca de 80% da produção de cana do Paraná, com destino ao porto de Paranaguá, onde atualmente são escoados cerca de 25% de nossa produção”, disse Paulo Zanetti. A expectativa é de que o duto entre em operação na safra 2014/2015.
“Neste momento, assinamos um protocolo para que façamos um estudo de levantamento da área e definir o traçado do duto”, disse o presidente da Alcopar. Para o ano que vem, espera-se a obtenção das licenças ambientais. “O início da construção está programado para 2012”, disse Zanetti.

A CPL, cujos sócios são associados da Alcopar, pretende levantar os recursos por meio de uma parceria estratégica na qual a cooperativa quer conservar o controle. O restante dos recursos virá das associadas da CPL. Além do investimento no poliduto, os produtores também assumiram o compromisso de viabilizá-lo economicamente por meio de contratos fixos de movimentação de etanol por um período de 20 anos.

Logística
Paulo Zanetti explica também que, além de ter uma produção expressiva, a região de Maringá foi escolhida como ponto inicial do duto por estar próxima de uma rede de tanques de armazenagem da associada CPA Trading, que será utilizada para captar o produto da região. Os tanques estão localizados na cidade de Sarandi. “Esses tanques têm ligação com a rede ferroviária e rodoviária, o que vai facilitar a captação do etanol”, disse o presidente da Alcopar.

A participação do Governo do Estado do Paraná se dará por meio do reconhecimento de incentivos ao setor, para garantir a competitividade do etanol. O governo também participará, em um segundo momento, por meio de suas empresas Copel, que utilizará o duto para colocação de fibras óticas, e Compagás, que utilizará o duto para transporte de gás natural.

De acordo com a Alcopar, a previsão é que as 30 unidades produtoras de etanol no Estado fechem a safra 2010/2011, em andamento, com uma produção de 2 bilhões de litros de etanol, dos quais 500 milhões de litros serão exportados.

O projeto original prevê que, depois de entrar em operação, o poliduto seja ampliado até Cuiabá, em Mato Grosso, passando por Mato Grosso do Sul. Segundo Zanetti, essa ampliação será feita para captar a crescente produção de etanol do Centro-Oeste do País. “Já temos muitos produtores interessados e em negociações avançadas com um grupo de Mato Grosso do Sul”, explica o presidente da Alcopar.

Neste primeiro momento, uma empresa de engenharia deve ser contratada para iniciar os estudos técnicos, e terá um prazo de quatro meses para definir o traçado do duto.
Maringá Mais