EDUCAÇÃO

Mais de cem milhões estão fora da escola

Há no mundo 103,5 milhões de crianças que não frequentam a escola, denunciou ontem em Brasília a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), num relatório sobre o estado mundial da educação.

Além disso, ''em um terço dos países dos quais dispõe-se de dados, menos de 75% dos alunos chegam à quinta série do ensino fundamental'', indica o documento publicado em ocasião da 4 Reunião Mundial de Educação, que teve ontem em Brasília com o objetivo de avaliar os compromissos assumidos por 160 países para alcançar, em 2015, uma cobertura universal da educação básica.

''As avaliações feitas nos planos nacional e internacional mostram que os níveis de aproveitamento escolar são muito baixos nos países com rendimentos escassos e médios, assim como entre os grupos desfavorecidos de algumas nações industrializadas'', destaca o documento.

O relatório, denominado ''Monitoramento da Educação Para Todos 2005'', afirma que ''a proporção de crianças escolarizadas no mundo é hoje maior do que nunca''. Entretanto, muitos ''abandonam a escola antes de chegar à quinta série do ensino fundamental ou terminam seus estudos elementares sem dominar um mínimo de conhecimentos'', acrescenta.

Esta situação se deve principalmente à baixa qualidade da educação e às condições pouco favoráveis, tais como excesso de estudantes por curso, infra-estrutura física inadequada, professores pouco qualificados e mal remunerados, explica o relatório.

O estudo, que conclui que ''a qualidade da educação é insuficiente para conseguir (o objetivo da) educação para todos em 2015'', considera também que outro fator vem ''prejudicando gravemente'' a educação básica no mundo, especialmente na África: ''a pandemia de Aids''.

Na Zâmbia, por exemplo, 815 professores primários morreram de aids em 2001, o que equivale a 45% do total de professores graduados nesse ano.
Folha de Londrina