Nove autores paranaenses são finalistas no Prêmio Jabuti 2021

Os autores paranaenses ou radicados no Estado disputam nas categorias tradução, crônica, romance de entretenimento, poesia, romance literário, HQ e infantil

Nove autores paranaenses são finalistas no Prêmio Jabuti 2021
Criado em 1958, o Jabuti é o mais tradicional prêmio literário do Brasil, concedido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). - Foto: Divulgação

A cultura do Paraná está em festa com a divulgação dos finalistas da edição de 2021 do Prêmio Jabuti, o mais importante e tradicional prêmio literário do Brasil. Nove escritores paranaenses ou radicados no Paraná são finalistas na primeira etapa da seleção, segundo a Câmara Brasileira do Livro.  

Ao todo são 20 categorias distribuídas nos eixos Literatura, Não-ficção, Produção Editorial e Inovação. Os autores paranaenses ou radicados no Estado disputam nas categorias Tradução (Daniel Martineschen e Rodrigo Tadeu Gonçalves), Crônica (Yuri Al’Hanati e Arzírio Cardoso), Romance de Entretenimento (Rafaela Riera), Poesia (Jussara Salazar), Romance Literário (Giovana Madalosso), História em Quadrinhos (José Aguiar) e Infantil (Adilson Farias).

O diretor da Biblioteca Pública do Paraná, Luiz Felipe Leprevost, celebrou com entusiasmo as indicações de autoras e autores nascidos ou radicados no Paraná. Ele destaca que grande parte deles têm uma relação estreita de colaborações com a Biblioteca Pública.

“Foram autores jurados do Prêmio Paraná de Literatura, realizaram curadorias da FLIB (Festa Literária da Biblioteca), participaram do projeto Onde Escrevo, colaboraram com os seus textos para o Jornal Cândido e a Revista Helena, ambos editados pela BPP. Uma parceria muito profícua e feliz, de modo que a gente está aqui na torcida”, afirmou. 

A escritora curitibana Giovana Madalosso estava cozinhando quando seu celular começou a tocar. Foram diversas chamadas, além das notificações de mensagens que “pipocavam” sem parar. Apesar de achar estranho, ela resolveu ignorar. “Pensei: deve ser um monte de ligações de telemarketing”, contou.

Mas após o almoço, Giovana foi checar seu celular e viu que não eram chamadas de telemarketing, e sim dezenas de ligações e mensagens de amigos e pessoas próximas, felicitando-a por ser finalista no Jabuti. Seu livro “Suíte Tóquio”, editado pela Todavia, concorre na categoria Romance Literário.

“Ter a possibilidade de ser finalista é uma coisa que eu nunca nem imaginei quando eu era uma jovem querendo ser escritora”, afirmou.

Seu romance vem sendo muito bem recebido por crítica e público e já teve direitos de publicação vendidos para diversos países, como Portugal, Inglaterra, Estados Unidos, Itália e Colômbia. O livro também deve virar filme em breve.

Para a autora, ser reconhecida com a indicação nesse prêmio é uma enorme conquista. “Eu vibrei muito. Tão bom quanto chegar a ser finalista do Jabuti é perceber a vibração das pessoas, dos amigos e dos leitores, torcendo para que o livro ganhe o prêmio, torcendo para que a literatura feita por mulheres cresça cada vez mais; é um momento muito bonito para mim”, afirmou.

A poeta, escritora, artista visual e designer Jussara Salazar, finalista na categoria Poesia do Jabuti com o livro “O dia em que fui Santa Joana dos Matadouros”, nasceu em Pernambuco, mas reside no Paraná desde 1985. Ela conta que o lugar que escolheu para viver há 36 anos tem uma ligação profunda com a sua poética e com a sua arte.

“Eu comecei a escrever aqui no Paraná, embora a minha narrativa seja muito ligada às minhas raízes, sendo filha de sertanejos do nordeste”, afirmou. Jussara diz que tem em si uma questão de ser híbrida, não ser de lugar nenhum e ser de tantos lugares. Mas segundo ela, foi no Paraná que ela desenvolveu sua escrita e sua arte. “Me senti estimulada a escrever pelo ambiente que encontrei aqui, muito favorável, artisticamente falando”, explicou.

PRÊMIO – Criado em 1958, o Jabuti é o mais tradicional prêmio literário do Brasil, concedido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). Foi idealizado por Edgard Cavalheiro quando presidia a CBL, com a intenção de premiar autores, editores, ilustradores, gráficos e livreiros que mais se destacassem a cada ano. Só em 2021 o Prêmio Jabuti recebeu 3.422 mil inscrições de todo o território nacional, número 31% maior do que no ano passado.

Formado por especialistas de cada categoria, o júri foi indicado pelo Conselho Curador do Prêmio, composto por Marcos Marcionilo, Ana Elisa Ribeiro, Bel Santos-Mayer, Camile Mendrot e Luiz Gonzaga Godoi Trigo. A cerimônia de entrega do Jabuti acontecerá em 25 de novembro. Os primeiros colocados receberão o troféu Jabuti e R$ 5 mil. Nesse dia também será revelado o vencedor do Livro do Ano, que ganha R$ 100 mil.

Confira abaixo os autores e autoras nascidos ou radicados no Paraná finalistas do Prêmio Jabuti 2021: 

  • Tradução

Título: Divã ocidento-oriental | Tradutor: Daniel Martineschen | Editora: Estação Liberdade

Título: Os Adelfos | Tradutor: Rodrigo Tadeu Gonçalves | Editora: Autêntica Editora

  • Crônica

Título: A volta ao quarto em 180 dias | Autor: Yuri Al’Hanati | Editora: Dublinense

Título: Conheço duas formas de acabar com a vida que são tiro e queda | Autor(a): Arzírio Cardoso | Editora(s): Patuá

  • Romance de Entretenimento

Título: Descanso | Autora: Rafaela Riera | Editora: Penalux

  • Poesia

Título: O dia em que fui Santa Joana dos Matadouros | Autora: Jussara Salazar | Editora: Cepe

  • Romance literário

Título: Suíte Tóquio | Autora: Giovana Madalosso | Editora: Todavia

  • Histórias em quadrinhos

Título: CWB | Autor: José Aguiar | Editora(s): Obra independente

  • Infantil

Título: Opa | Autor: Adilson Farias | Editora: Prosa Nova

Agência Estadual de Notícias